WebRádio Trindade Santa: Outubro 2010

sábado, 30 de outubro de 2010

Paz inquieta


“Pedro, tu és pedra, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e nem as portas do inferno prevalecerão contra ela”. Quando Nosso Senhor disse isso, tenho certeza de que sua intenção era a de dar-nos a serenidade diante das batalhas que a Igreja empreende ao longo dos séculos, tanto nas perseguições que sofre, quanto nos escândalos dos pecados daqueles dos quais se esperava o maior exemplo de fidelidade. Porém, o Senhor nunca quis ver o nosso coração acomodado com isso; saber que nem as portas do inferno prevalecerão sobre a Igreja não pode servir de desculpa para a mediocridade no exercício do grave dever de anunciar o Evangelho com tudo aquilo que temos e somos.

É com uma santa ironia que o Senhor nos diz em outra ocasião: “os filhos desse mundo são mais astutos em seus negócios do que os filhos da luz”. Atenção! Isso é uma provocação! Jesus está nos desafiando! Exatamente como fez aos fariseus, ao chamá-los de hipócritas, Ele agora nos provoca com sua ironia: “os filhos desse mundo empreendem esforços muito maiores, mais organizados e eficazes, para obterem benefícios bem pouco nobres, enquanto vocês, aos quais foi entregue uma missão muito mais sublime, fazem tudo com tão pouca inteligência e real empenho! Por detrás de uma aura de pretensa santidade, piedade e “boa vontade”, vocês pretendem esconder preguiça, descaso, enfim, sua odiosa má-vontade!

Eu continuamente me questiono: será que eu estou sendo um estúpido filho da luz? Um filho da luz abobalhado, acomodado, morno e repugnante ao meu Senhor, merecedor de sua ironia cortante e provocativa? Volta e meia tendo a me acomodar (esse odioso homem velho continua insistindo em meter-me na inércia…), mas meu Senhor não me deixa quieto. Quando olho pra cruz, não posso deixar de me recordar que cristianismo é coisa mais pra herói do que pra homem comum. Recordo-me que sou herdeiro na fé de homens dos quais o mundo não era digno, como disse o autor da carta aos hebreus, referindo-se a personalidades do Antigo Testamento, mas cuja expressão serviria perfeitamente para descrever aqueles que, só para citar um exemplo, durante as perseguições do império romano foram capazes de defender a fé com o custo da própria vida. Homens e mulheres de verdade, dos quais o mundo não era digno! Eles estão no céu, e continuam a obra da Igreja na sua intercessão incessante por nós, Igreja militante. E nós, o que fazemos por esta fé, outrora conquistada com tão alto custo, hoje em dia “mantida” de forma tão pusilânime?

Tenho que conter às vezes a indignação quando ouço alguém dizer que é católico não-praticante. Dá vontade de dizer aos berros: “deixe de palhaçada! Diga logo que você não é mais católico ou que nunca o foi de verdade! Você não tem idéia do que está dizendo!” É por causa desses e de outros pusilânimes que os que nos vêem de fora hoje já não nos admiram pelo testemunho de fé e de amor que dávamos nos primeiros séculos, mas nos olham com desprezo dizendo: “Está vendo? Mas também, qual a religião dele? Só podia ser católico…”. Olha que belo modelo estão tendo de católico!

Católico pra mim não é o idiota que não sabe o que dizer quando alguém lhe pergunta qual a sua religião. Não é o ser humano desequilibrado, que conseguiu esconder suas perversões durante o tempo de formação, e que agora serve de escândalo a meio mundo, ainda mais porque amplifica-se seus erros numa insistente campanha desmoralizatória, que não respeita sequer a lógica, que não permite inferir um juízo universal a partir de casos de uma evidente minoria. Não, isso não é ser católico e não foi pra isso que me tornei sacerdote. Católico é Santo Inácio de Antioquia, quando pediu que a comunidade de Roma não tentasse salvá-lo de ser devorado pelos leões, alegando ser esse o momento cume de sua vida, por tornar-se trigo de Cristo triturado pelos dentes das feras, dando nessa oportunidade o mais eloqüente testemunho do Evangelho em toda a sua vida! Católico é Thomas Morus: por causa de sua coerência de fé, esse competentíssimo servidor do rei Henrique VIII foi perseguido, preso e morto. Na prisão, aguardando julgamento, com a serenidade de quem é homem de verdade e honra o nome de seguidor de Cristo, escreve à filha cartas que são verdadeiros tesouros de sabedoria e santidade. Eu poderia escrever páginas e mais páginas, porque exemplos não faltam, no passado e no presente, de católicos de verdade. Mas creio que isto já deveria bastar. Aliás, a cruz de Cristo já bastaria, mas seus valentes seguidores não deixaram por menos. Pena que isso não vira notícia!

Está na hora de recordar a Quem servimos e seguimos. Está na hora de recordar de quem somos herdeiros. Isso vai nos dar paz, mas uma paz inquieta, a paz de quem não usa a esperança como pretexto para se acomodar, mas procura honrar a alcunha que leva.

Pe. Rodrigo Amaral

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Livro de músicas católicas ONLINE

OLA AMIGOS!

Atenção aos músicos de Plantão! Querem um livro de músicas católicas com cifras online?

Então acessem já este endereço e boa pesquisa!

http://www.scribd.com/doc/26933335/Cifras-de-Msicas-Livro-Anchietanum

Obrigado e bom final de semana a todos! Boa votação, vote consciente!!!

Klaus Korting
Equipe Trindade Santa! Ele está no meio de nós!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

MUDAR DE RELIGIÃO

O filho de um amigo meu, levado por sua devoção a esposa, mudou de religião. Incidentemente os dois têm nome de santo católico! Numa conversa informal que um dia tivemos, ele disse que estava mais feliz agora, mas que admirava o fato de eu também ser feliz, felicidade que atribuo a minha Igreja e que ele agora atribui a Igreja da qual faz parte. Conversa vai, conversa vem... eu lhe disse:

- “Sua mãe, que já morreu, agora tem certeza sobre Deus e sobre ela mesma. Creio que ela está no céu pertinho de Deus, no colo dele. Quando eu morrer, terei certezas muito maiores do que tenho hoje, porque estarei, espero eu, no colo de Deus. Quando você morrer também descobrirá quem esteve mais certo neste mundo: sua mãe, eu, você, sua esposa, o povo da nova religião que você adotou ou os da religião da qual você saiu para não ter conflitos com a esposa. Agora, só podemos ter fé e viver desta fé. Você resolveu vivê-la numa outra Igreja e eu continuo vivendo na minha que, para mim, é mais do que mãe e é mais do que suficiente”.

A conversa mudou para outros temas e nos despedimos civilizadamente com chá vermelho e torrada. Quando se é civilizado, é bem assim que se faz. Lá no céu saberemos quem esteve certo. Aqui vivemos de procuras. Quem acha que achou, continue! Quem acha que não achou, continue também! Em algum lugar haverá verdade suficiente para a gente ser feliz, sempre na caridade, porque sem esta, nenhuma verdade vale a pena.

Padre Zezinho

COM CHAVEZ E CONCHAVOS

Falar de política no Brasil é falar do momento. Os ferrenhos adversários de ontem de repente podem ser os grandes aliados de hoje. Uma coisa é costurar uniões e outra, alinhavar sem profundidade e sem fidelidade conchavos que quase sempre ignoram o sentir do povo.

À pergunta sobre se o Brasil está cansado de alinhavos e conchavos se responde com um sonoro sim. O Brasil quer uma democracia mais forte, mais transparente e, já que inventou a urna eletrônica onde, num só dia, tudo é decidido, somado e computado, cabe ao Brasil criar também dispositivos rápidos e ágeis de livrar-se desses parasitas do poder que se agarram a partidos nos quais não acreditam e pregam uma democracia na qual também não acreditam.

O Brasil do “leve vantagem com você também” parece estar mudando. As eleições ainda nos assustam pelo tipo de candidatos que os partidos nos apresentam, mas aí depende do povo rejeitá-los. Viajei o suficiente para saber que o povo simples não vai votar só por causa do bolsa-família ou de cestas básicas. Isto vai contar na hora do voto, mas não é isto o que vai decidir. O que o povo quer é uma continuidade de ações que favoreçam o avô, o pai, a mãe e os filhos; vale dizer: água, luz, alimento, escola e chance de emprego. Os governos estaduais que conseguiram melhorar isso têm muito mais confiabilidade e muito mais chance de permanecer no poder. Só a cantilena de oposição parece não convencer mais o povo, da mesma forma que as promessas de mudanças também não convencem.

Ele quer saber se o governo atual fez alguma coisa; se fez está disposto a lhe dar mais uma chance; se não fez, vai certamente buscar uma nova possibilidade. Portanto, quem está no governo, trate de dar o mínimo necessário ao povo e fugir dos conchavos, porque os conchavos sugam o que seria o mínimo necessário do povo. Não há oposição que possa a vida inteira boicotar um governo. Ela acaba caindo descrédito e o seu discurso se tornara enfadonho. Quem pensa que o povo gosta de governo ou de oposição está enganado. O povo gosta é de ações concretas e ele já descobriu que conversa de oposição é conversa; promessa de futuro governo é promessa.

Hoje o povo faz as contas e vota de maneira pragmática; não vota em quem promete mais, nem em quem grita mais. Olha para a estrada que está chegando a sua cidade, para a água, a luz, o esgoto e para a escolinha dos seus filhos; olha para a geladeira, para a dispensa e sabe se alguma coisa melhorou ou piorou e, então, ele vai e vota. Ao que tudo indica a política está deixando de ser discurso. Eles dão risada dos discursos altissonantes dos eternos candidatos de ontem, auto-exaltações de políticos empoleirados no poder há séculos. Mas está cada dia mais claro que é preciso enquadrar os partidos, para que não permitam mais em suas fileiras os canastrões, os picaretas e os eternos aventureiros e aproveitadores. Afinal, votamos em quem os partidos indicam e, se eles indicam tais candidatos ruins, não esperem merecer respeito. O país continua precisado de uma verdadeira reforma partidária. Quem não a quer são as velhas raposas!

Padre Zezinho

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

CANTORES DO MUNDO E CANTORES DO CÉU


Há cantores que se sentem inspirados para cantar uma flor ou um rio que corre, uma cachoeira, uma ave que faz vôo rasante, alguém que perdeu um filho, uma pessoa ferida na alma, amores que não deram certo, amores maravilhosos. Há "cantores do mundo" que escolhem cantam o romantismo, a alegria, a festa, o companheirismo. E, ainda, há cantores do mundo que escolhem cantam o deboche, o amor livre, a ousadia. É preciso distinguir entre eles. Há os bons, honestos, sinceros, tranqüilos. inocentes até, e há os mal intencionados que sabem que uma canção maliciosa dá dinheiro.

Do outro lado, há os "cantores do céu" que gostam de louvar a Deus, cantar a bondade e a misericórdia de Deus, exaltar ao Senhor, proclamar o nome de Jesus e mostrar as delícias da contemplação. Escolheram este gênero de canção porque acham que ele faz bem.

Deus inspira a grande maioria dos cantores, tanto os da terra como os do céu, tanto os que cantam as coisas do mundo, como os que cantam as coisas de Deus. Até porque Deus criou este mundo e quem canta a criação está exaltando o Criador. É difícil imaginar que Deus inspire uma canção de deboche ou de desrespeito à família, como também é difícil imaginar que Deus inspire uma canção de algum religioso que ataque outra igreja e diminui a graça de Deus nos outros. Há, portanto, bons cantores que cantam para o céu e há bons cantores que cantam do mundo, sobre o mundo e para o mundo.

"Luar do sertão..." certamente não é uma música religiosa, mas é claro que foi Deus quem a inspirou, porque fala da obra de Deus. "Noite Feliz" é uma canção religiosa e fala do Deus que fez estas obras. Deus inspirou as duas. Por isso, tomemos cuidado quando falamos de cantores do céu como gente boa e de cantores do mundo como gente pecadora ou a serviço do mal. Tomemos cuidado quando citamos canções religiosas como canções boas e canções do mundo como mundanas e pecadoras. Nem toda canção do mundo é mundana ou pecadora; muitas delas elevam e enaltecem o amor humano e a graça de Deus nas pessoas. E nem todo cantor religioso canta coisas elevadas. Pode-se fazer uma canção religiosa ou ruim, péssima até, e pode-se fazer uma canção do mundo boa e excelente. Um pouco de humildade faria bem a nós cantores, que escolhemos cantar as coisas do céu. Temos muito que aprender com os cantores do mundo.

Um pouco de humildade faria, também, os cantores do mundo descobrirem valores nas canções que falam do céu. Todos nós deveríamos aprender a criar e a produzir canções bem feitas, respeitosas e capazes de elevar o espírito humano. Não nos iludamos! Deus não inspira somente quem canta nas igrejas. Ele é maior do que imaginamos e sua luz vai muito além dos telhados, do coro e dos teclados de nossas igrejas. Paremos de estabelecer contraste entre as músicas do mundo e as de Deus. Ele também andou iluminando muitas das canções que alguns pregadores religiosos chamam de música profana. Preste atenção naquelas letras. Algumas são dez vezes mais profundas do que muitas canções que andamos cantando nas igrejas. Melhoremos as nossas e saibamos elogiar o que não é nosso, mas é bom! É mais cristão e muito mais do agrado de Deus!

Padre Zezinho

Evangelho do dia (Lucas 12,39-48)

Quarta-Feira, 20 de Outubro de 2010
29ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. Vós também ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”.
Então Pedro disse: “Senhor, tu contas esta parábola para nós ou para todos?” E o Senhor respondeu: “Quem é o administrador fiel e prudente que o senhor vai colocar à frente do pessoal de sua casa para dar comida a todos na hora certa? Feliz o empregado que o patrão, ao chegar, encontrar agindo assim! Em verdade eu vos digo: o senhor lhe confiará a administração de todos os seus bens. Porém, se aquele empregado pensar: ‘Meu patrão está demorando’, e começar a espancar os criados e as criadas, e a comer, a beber e a embriagar-se, o senhor daquele empregado chegará num dia inesperado e numa hora imprevista, ele o partirá ao meio e o fará participar do destino dos infiéis.
Aquele empregado que, conhecendo a vontade do senhor, nada preparou, nem agiu conforme a sua vontade, será chicoteado muitas vezes. Porém, o empregado que não conhecia essa vontade e fez coisas que merecem castigo, será chicoteado poucas vezes. A quem muito foi dado, muito será pedido; a quem muito foi confiado, muito mais será exigido!”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Evangelho (Lucas 12,35-38)


Terça-Feira, 19 de Outubro de 2010
São Paulo da Cruz

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade, eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou à três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar!

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

Dia da Juventude Missionária

Apostolado pertencente a um movimento internacional, a Juventude Missionária segue o exemplo de Maria, pois tem como objetivo evangelizar indo ao encontro de comunidades em outras cidades ou paróquias vizinhas. Esse apostolado está presente em vários países e em nível nacional realiza atividades em algumas cidades como Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Parabéns a todos os jovens que evangelizam e são missionários de Jesus Cristo!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010


Evangelho (Lucas 10,1-9)
Segunda-Feira, 18 de Outubro de 2010
São Lucas Evangelista

Naquele tempo 1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita.
3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias, e não cum­primenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Per­ma­necei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não pas­seis de casa em casa. 8Quando entrar­des numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘o Reino de Deus está próximo de vós’”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

domingo, 17 de outubro de 2010

Deus tem mil formas de mostrar que existe


Deus tem mil formas de mostrar que existe, afirma Papa ao recordar a vida da Beata Angela de Foligno

CIDADE DO VATICANO, quarta-feira, 13 de outubro de 2010 (ZENIT.org) - "Deus tem mil maneiras - para cada um a sua - de fazer-se presente na alma, de mostrar que existe, que me conhece e ama", considera Bento XVI.

O Pontífice chegou a esta conclusão hoje, ao apresentar na catequese a figura da Beata Angela de Foligno, mística italiana que viveu entre 1248-1309, da Ordem Terceira Franciscana.

O Papa recordou que Angela havia levado uma vida mundana, afastada do pensamento de Deus, até que, em 1285, invocou São Francisco de Assis, quem lhe apareceu em uma visão, e depois ela decidiu confessar-se.

Começou então um rico e tortuoso caminho espiritual. Em primeiro lugar, explicou Bento XVI, ela não tinha a sensação de ser amada por Deus, senão que sentia "vergonha".

Angela, explicou, "sente o dever de ter de dar algo a Deus para reparar seus pecados, mas lentamente compreende que não tem nada para dar-lhe; pelo contrário, é 'nada' diante d'Ele; compreende que não será sua vontade que dará amor a Deus, porque esta só pode dar-lhe seu 'nada', o 'não amor'".

Acompanha-a "o pensamento do inferno, porque quanto mais a alma progride no caminho da perfeição cristã, mais se convencerá não somente de ser 'indigna', mas de merecer o inferno".

O Crucificado que salva da indignidade

"Em seu caminho místico, Angela compreende de maneira profunda a realidade central: o que a salvará da sua 'indignidade' e de 'merecer o inferno' não será sua 'união com Deus' e seu possuir a 'verdade', mas Jesus crucificado, 'sua crucifixão por mim', seu amor."

A conversão de Angela, inciada com a confissão de 1285, chegará à maturidade somente quando o perdão de Deus aparecer à sua alma como o dom gratuito de amor do Pai, fonte de amor, reconheceu o Papa.

À luz da vida desta mística, o Papa concluiu deixando uma lição para nossos dias: "Hoje estamos todos em perigo de viver como se Deus não existisse: Ele parece muito longe da vida atual. Mas Deus tem mil maneiras - para cada um a sua - de fazer-se presente na alma, de mostrar que existe, que me conhece e ama. E a Beata Angela quer nos deixar atentos a estes sinais com os quais o Senhor nos toca a alma, atentos à presença de Deus, para aprender, assim, o caminho com Deus e rumo a Deus, na comunhão com Cristo Crucificado. Oremos ao Senhor para que nos torne atentos aos sinais da sua presença, que nos ensine a viver realmente".

Evangelho do dia (Lucas 18,1-8)


Domingo, 17 de Outubro de 2010
29º Domingo do Tempo Comum

— O Senhor esteja convosco!
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 1Jesus contou aos discípulos uma parábola, para mostrar-lhes a necessidade de rezar sempre, e nunca desistir, dizendo:
2”Numa cidade havia um juiz que não temia a Deus, e não respeitava homem algum. 3Na mesma cidade havia uma viúva, que vinha à procura do juiz, pedindo: ‘Faze-me justiça contra o meu adversário!’
4Durante muito tempo, o juiz se recusou. Por fim, ele pensou: ‘Eu não temo a Deus, e não respeito homem algum. 5Mas esta viúva já me está aborrecendo. Vou fazer-lhe justiça, para que ela não venha a agredir-me!’”
6E o Senhor acrescentou: “Escutai o que diz este juiz injusto. 7E Deus, não fará justiça aos seus escolhidos, que dia e noite gritam por ele? Será que vai fazê-los esperar?
8Eu vos digo que Deus lhes fará justiça bem depressa. Mas o Filho do homem, quando vier, será que ainda vai encontrar fé sobre a terra?”

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sábado, 16 de outubro de 2010

Evangelho do dia (Lucas 12,8-12)


Sábado, 16 de Outubro de 2010
28ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 8”Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante do anjos de Deus. 9Mas aquele que me renegar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus. 10Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. 11Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. 12Pois, nessa hora o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Evangelho do dia


Evangelho (Lc 12,1-7)
Sexta-Feira, 15 de outubro de 2010

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: “Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. 2Não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido.
3Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados.
4Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. 5Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno.
Sim, eu vos digo, a este temei. 6Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. 7Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

A Beleza do desprendimento



“As raposas têm suas tocas e as aves do céu, seus ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde repousar a cabeça.” (Mt 8,20)


Esse belíssimo trecho do evangelho de são Mateus nos aponta para uma realidade muito bonita e ao mesmo tempo desafiadora. Vemos Jesus como que dizendo qual é a condição que deve se estreitar aquele que deseja segui-lo. É claro que considerando na atualidade esse trecho parece pura utopia, mas é ai que se encontra uma chave preciosa que seguramente nos abrira portas que nos levara para a felicidade.
O que Jesus apresenta neste trecho é o convite ao desprendimento, o optar por ter apenas o necessário. É evidente que para se dar esse passo é preciso entender que é de Deus que vem nosso socorro.
Experenciar o desprendimento é um desafio que se traduz no empenho pessoal, é procurar nas minúcias das mais variadas situações desapegar-se,é deixar de lado o supérfluo, é ir contra a maré do pragmatismo que endeusa o consumismo e a aquisição de quinquilharias onde se julga a pessoa por aquilo que ela tem e não por aquilo que ela realmente é, isso claro não deve ser entendido como uma fuga ou falta de compromisso, pelo contrario é sinal de um amadurecimento a ponto de se deixar guiar pela voz do espírito.
É claro que desapegar-se não é tarefa fácil e por isso é desafio, mas é também beleza incomparável. Seguir Jesus é optar sempre pelo desapego a ponto de se desprender da própria vida se preciso for.
Por isso se você quer dar esse passo de fé não tenha medo o filho do homem não tinha onde repousar a cabeça e nem por isso o Pai o deixou jogado ao vento. Tenha fé e se lance na beleza do desprendimento onde Deus não nos tira nada mais nos dá o cêntuplo.

Evangelho (Lucas 11,42-46)

Quarta-Feira, 13 de Outubro de 2010
28ª Semana Comum

Naquele tempo, disse o Senhor: 42“Ai de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo. 43Ai de vós, fariseus, porque gostais do lugar de honra nas sinagogas, e de serdes cumprimentados nas praças públicas. 44Ai de vós, porque sois como túmulos que não se vêem, sobre os quais os homens andam sem saber”.
45Um mestre da Lei tomou a palavra e disse: “Mestre, falando assim, insultas-nos também a nós!” 46Jesus respondeu: “Ai de vós também, mestres da Lei, porque colocais sobre os homens cargas insuportáveis, e vós mesmos não tocais nessas cargas, nem com um só dedo”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Evangelho do dia 11/10/2010


Um sinal?
Lc 11,29-32

Quando a multidão se ajuntou em volta de Jesus, ele começou a falar e disse o seguinte:
- Como as pessoas de hoje são más! Pedem um milagre como sinal de aprovação de Deus, mas nenhum sinal lhes será dado, a não ser o milagre de Jonas. Assim como o profeta Jonas foi um sinal para os moradores da cidade de Nínive, assim também o Filho do Homem será um sinal para a gente de hoje. No Dia do Juízo a rainha de Sabá vai se levantar e acusar vocês, pois ela veio de muito longe para ouvir os sábios ensinamentos de Salomão. E eu afirmo que o que está aqui é mais importante do que Salomão. No Dia do Juízo o povo de Nínive vai se levantar e acusar vocês porque, quando ouviram a mensagem de Jonas, eles se arrependeram dos seus pecados. E eu afirmo que o que está aqui é mais importante do que Jonas.

domingo, 10 de outubro de 2010

Evangelho do dia 10/10/2010


Só um dos dez voltou para agradecer
Lc 17,11-19

Jesus continuava viajando para Jerusalém e passou entre as regiões da Samaria e da Galiléia. Quando estava entrando num povoado, dez leprosos foram se encontrar com ele. Eles pararam de longe e gritaram:
- Jesus, Mestre, tenha pena de nós!
Jesus os viu e disse:
- Vão e peçam aos sacerdotes que examinem vocês.
Quando iam pelo caminho, eles foram curados. E, quando um deles, que era samaritano, viu que estava curado, voltou louvando a Deus em voz alta. Ajoelhou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Jesus disse:
- Os homens que foram curados eram dez. Onde estão os outros nove? Por que somente este estrangeiro voltou para louvar a Deus?
E Jesus disse a ele:
- Levante-se e vá. Você está curado porque teve fé.

Etapas...


Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final.
Se insistimos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerramos ciclos, fechando portas, terminando capítulos.
Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já acabaram. Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicação?
Você pode passar muito tempo se perguntando porque isso aconteceu.
Pode dizer para si mesma que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: pais, marido, amigos, filhos, irmãos... Todos estarão seguindo adiante, e sofrerão ao ver que você está parado.
NINGUÉM PODE ESTAR AO MESMO TEMPO NO PRESENTE E NO PASSADO, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará. Não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso, é tão importante destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar livros que tem.
TUDO NESTE MUNDO VISÍVEL É UMA MANIFESTAÇÃO DO MUNDO INVISÍVEL, do que está acontecendo em nosso coração e desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos e outras perdemos. Não espere que resolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor...
Pare de ligar a TV emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda... isso só estará apenas envenenando, e nada mais. Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos não aceitos, promessas de emprego que não tem data marcada para começar, discussões que sempre são adiadas em nome do MOMENTO IDEAL.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo... Diga a si mesmo que o que passou jamais voltará. Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa.
Nada é INSUBSTITUÍVEL, um hábito não é uma necessidade! Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos.
Não por causa do orgulho, por incapacidade ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira... Deixe de ser quem era e transforme em quem é.
Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és.

Lembre-se...
"TUDO O QUE CHEGA, CHEGA SEMPRE POR ALGUMA RAZÃO."

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Evangelho do dia 08/10/2010


Jesus expulsa demônios
Lc 11,15-26

Mas alguns disseram:
- É Belzebu, o chefe dos demônios, que dá poder a este homem para expulsar demônios.
Outros, querendo conseguir alguma prova contra Jesus, pediam que ele fizesse um milagre para mostrar que o seu poder vinha de Deus. Mas Jesus, conhecendo os pensamentos deles, disse:
- O país que se divide em grupos que lutam entre si certamente será destruído; a família que se divide em grupos que lutam entre si também será destruída. Se o reino de Satanás tem grupos que lutam entre si, como continuará a existir? Vocês dizem que é Belzebu que me dá poder para expulsar demônios. Mas, se é assim, quem dá aos seguidores de vocês o poder para expulsar demônios? Assim, os seus próprios seguidores provam que vocês estão completamente enganados. Na verdade é pelo poder de Deus que eu expulso demônios, e isso prova que o Reino de Deus já chegou até vocês.
- Quando um homem forte e bem armado guarda a sua própria casa, tudo o que ele tem está seguro. Mas, quando um homem mais forte o ataca e vence, leva todas as armas em que o outro confiava e reparte tudo o que tomou dele.
- Quem não é a meu favor é contra mim; e quem não me ajuda a ajuntar está espalhando.
Jesus continuou:
- Quando um espírito mau sai de alguém, anda por lugares sem água, procurando onde descansar, mas não encontra. Então diz: "Vou voltar para a minha casa, de onde saí." Aí volta e encontra a casa varrida e arrumada. Depois sai e vai buscar outros sete espíritos piores ainda, e todos ficam morando ali. Assim a situação daquela pessoa fica pior do que antes.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Evangelho do dia 07/10/2010


Maria, serva do Senhor
Lc 1,26-38

Quando Isabel estava no sexto mês de gravidez, Deus enviou o anjo Gabriel a uma cidade da Galiléia chamada Nazaré. O anjo levava uma mensagem para uma virgem que tinha casamento contratado com um homem chamado José, descendente do rei Davi. Ela se chamava Maria. O anjo veio e disse:
- Que a paz esteja com você, Maria! Você é muito abençoada. O Senhor está com você.
Porém Maria, quando ouviu o que o anjo disse, ficou sem saber o que pensar. E, admirada, ficou pensando no que ele queria dizer. Então o anjo continuou:
- Não tenha medo, Maria! Deus está contente com você. Você ficará grávida, dará à luz um filho e porá nele o nome de Jesus. Ele será um grande homem e será chamado de Filho do Deus Altíssimo. Deus, o Senhor, vai fazê-lo rei, como foi o antepassado dele, o rei Davi. Ele será para sempre rei dos descendentes de Jacó, e o Reino dele nunca se acabará.
Então Maria disse para o anjo:
- Isso não é possível, pois eu sou virgem!
O anjo respondeu:
- O Espírito Santo virá sobre você, e o poder do Deus Altíssimo a envolverá com a sua sombra. Por isso o menino será chamado de santo e Filho de Deus. Fique sabendo que a sua parenta Isabel está grávida, mesmo sendo tão idosa. Diziam que ela não podia ter filhos, no entanto agora ela já está no sexto mês de gravidez. Porque para Deus nada é impossível.
Maria respondeu:
- Eu sou uma serva de Deus; que aconteça comigo o que o senhor acabou de me dizer!
E o anjo foi embora.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Presidente do banco vaticano responde às críticas econômicas contra Igreja Católica




ROMA, 06 Out. 10 / 10:47 am (ACI).- O Presidente do Instituto para as Obras de Religião (IOR), Ettore Gotti Tedeschi, responde algumas críticas contra a Igreja Católica no aspecto econômico e explica que os bens temporários devem ser cada vez melhor administrados, sobre tudo quando são utilizados para fazer obras das quais se beneficiam milhões de pessoas, como as que fazem os católicos em todo o mundo.

Gotti Tedeschi –a quem a Santa Sede expressou seu apoio ante uma investigação da fiscalização de Roma por suposta lavagem de dinheiro, fato que considerou como um ataque à Igreja e ao Vaticano– escreve um artigo no L’Osservatore Romano no qual recorda que "os tempos atuais são influenciados por uma fase acelerada de globalização e uma crise econômica que não vai se resolver em breve".

O diretor do banco vaticano, que se encontrou com o Papa Bento XVI no último 26 de setembro e entregou-lhe um exemplar de seu livro "Dinheiro e paraíso: Os católicos e a economia global", explica em seu artigo que os dois fatores mencionados "exigem a adaptação a novas exigências de comportamento, também por parte de diversos entes econômicos da Igreja".

Estas entidades, explica, devem adotar estas exigências "para otimizar com eficácia, a gestão do uso dos recursos necessários para as obras de religião, administradas diretamente ou através das estruturas dos mesmos entes, congregações ou dioceses, para que sua ação não se debilite ante incertezas e novos possíveis riscos".

Depois de explicar que para que este processo transcorra adequadamente é imprescindível a "transparência nas atividades financeiras", o prestigioso economista assinala que esta tarefa deve ser realizada na Igreja "sem modificar a própria natureza jurídica, única no mundo e necessária para a própria missão" mas tendo em conta que esta natureza deve ser protegida "com o melhoramento das capacidades operativas, de modo exemplar e coerente com o necessário espírito ético que deve distinguir o comportamento geral".
"Esta atitude de disponibilidade é indispensável para facilitar a participação no projeto de construção daquela sociedade global auspiciada pelo Bento XVI e pela qual trabalham seus mais estreitos colaboradores, e para garantir, nas atividades temporárias, uma presença incisiva dos valores cristãos".

Seguidamente o presidente do IOR explica que a presença da Igreja na economia é vital "não só porque está em sua tradição ter inspirado o pensamento econômico moderno graças aos teólogos tardo-escolásticos, mas também porque sem suas obras de caridade, espirituais e materiais, o mundo não teria podido manter-se e não conseguiria manter-se tampouco no futuro".

"Muitos e sempre –prossegue– estão prontos para criticar à Igreja Católica. Também quanto a seus recursos econômicos, sem os quais não seria possível oferecer essas obras que beneficiam a todos, inclusive a quantos estão visivelmente fora de seus limites".

Um exemplo disto, explica Ettore Gotti Tedeschi, é "Voltaire, quem queria que seus familiares –esposa, advogado e servos– fossem educados no cristianismo, acreditassem em Deus e se comportassem segundo seus mandamentos. E o quis assim porque era muito consciente de que esse era o único modo experiente para não ser traído, enganado e roubado".

Finalmente, o Presidente do IOR ressalta que "para seguir garantindo esta boa reputação é às vezes necessário renovar os instrumentos. Como dizia Irineu de Lyon no segundo século, a fé é sempre jovem e faz rejuvenescer".

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Outubro - Mês das Missões!

Olá Amigos da Rádio Trindade Santa! Quero saber algo de você que tem acessado o blog da rádio.

Você sabe que Outubro é o Mês das Missões, e a pergunta que faço é simples:

-Você tem feito sua parte, apresentando Jesus Cristo as pessoas da tua volta?
Pense e se possível deixe o seu comentário neste artigo.

Será que temos feito a nossa parte junto ao anúncio de Jesus Cristo aqueles que ainda não tiveram um Encontro Pessoal com ELE?

Aguardo teu comentário!

Obrigado pelo carinho da sua companhia junto a Trindade Santa!

Postagens Relacionadas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...